Cazuza e a Burguesia

Cazuza - Burguesia (1989)

O consagrado Agenor em mais uma música com alto nível de politização e crítica escrachada, dessa vez, sobre a burguesia.
Há uma clara convocação a uma revolução, o que, de fato, está deixando a desejar nos dias de hoje...

Ouça a faixa na playlist localizada na coluna da esquerda.

Cazuza - Burguesia

A burguesia fede
A burguesia quer ficar rica
Enquanto houver burguesia
Não vai haver poesia

A burguesia não tem charme nem é discreta
Com suas perucas de cabelos de boneca
A burguesia quer ser sócia do Country
A burguesia quer ir a New York fazer compras

Pobre de mim que vim do seio da burguesia
Sou rico mas não sou mesquinho
Eu também cheiro mal
Eu também cheiro mal

A burguesia tá acabando com a Barra
Afunda barcos cheios de crianças
E dormem tranqüilos
E dormem tranqüilos

Os guardanapos estão sempre limpos
As empregadas, uniformizadas
São caboclos querendo ser ingleses
São caboclos querendo ser ingleses

A burguesia não repara na dor
Da vendedora de chicletes
A burguesia só olha pra si
A burguesia só olha pra si
A burguesia é a direita, é a guerra

As pessoas vão ver que estão sendo roubadas
Vai haver uma revolução
Ao contrário da de 64

O Brasil é medroso
Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia
Vamos pra rua!
Vamos pra rua!
Vamos pra rua!
Vamos pra rua!
Pra rua, pra rua

Vamos acabar com a burguesia
Vamos dinamitar a burguesia
Vamos pôr a burguesia na cadeia
Numa fazenda de trabalhos forçados
Eu sou burguês, mas eu sou artista
Estou do lado do povo, do povo

Porcos num chiqueiro
São mais dignos que um burguês
Mas também existe o bom burguês
Que vive do seu trabalho honestamente
Mas este quer construir um país
E não abandoná-lo com uma pasta de dólares
O bom burguês é como o operário
É o médico que cobra menos pra quem não tem
E se interessa por seu povo
Em seres humanos vivendo como bichos
Tentando te enforcar na janela do carro
No sinal, no sinal
No sinal, no sinal

Nenhum comentário: