Os maiores mentirosos da história

1. Barão de Münchausen

O Barão de Münchausen (1720-1797) era um militar alemão que entrou, em algumas campanhas, ao lado dos russos contra os turcos. Na volta das campanhas, começou a contar histórias absurdas, como ter viajado na bala de um canhão, virado um lobo do avesso e ter saído de um pântano puxando os próprios cabelos!

A lorota foi tanta que Münchausen deu nome a um desvio psiquiátrico, a Síndrome de Munchausen, em que o paciente inventa problemas para chamar atenção.

2. Pernas Curtas

Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901), um dos maiores pintores da história, também entrou pra história por causa de um dom menos nobre.
O artista mentia tanto, e com tanta frequência, que nos bares da boemia parisiense diziam que seu talento com as lorotas era tão grande quanto com os pincéis.

A baixa estatura do pintor, causada por um defeito que prejudicou o crescimento das pernas, somada às suas mentiras, originou o famoso ditado "mentira tem pernas curtas".


3. Imprensa Marrom

Janet Leslie Cooke (1954-), escreveu uma série de matérias para o jornal Washington Post sobre Jimmy, um menino de oito anos viciado em heroína. A história fez muito sucesso e ela acabou ganhando o prestigioso prêmio Pulitzer. Detalhe: tudo mentira.

A mentira foi descoberta quando assistentes sociais comovidas com a história procuraram a criança, que não existia. Além de demitida, a ex-jornalista ainda perdeu o prêmio.

4. A arte de mentir

O artista plástico Joey Skaggs (1945-) decidiu que sua arte seria a mentira e a sua tela seria a mídia. Há várias décadas, inventa "notícias", que são engolidas por jornais. Como simular uma passeta de ciganos (todos atores) para protestar contra o nome de uma mariposa (mariposa-cigana), alegando que o nome é preconceituoso.

Além de sempre conseguir que algum jornal caia nas suas lorotas, Joey viaja o mundo dando palestras sobre o seu "dom".

5. O filho do dono da Gol

Marcelo Nascimento da Rocha (1976-), trabalhava como piloto do tráfico drogas, quando, em 2001, resolveu deixar de ser empregado para virar patrão. Encantado com a figura de Henrique Constantino, filho do dono da Gol, se mandou para Recife, onde se fez passar pelo jovem milionário para curtir um carnaval com todas as regalias possíveis.Já chegou esbanjando, de helicóptero, que conseguiu emprestado graças à boa lábia. Saiu com muitas modelos interesseiras, além de capas de revistas e deu até entrevista ao programa do Amaury Jr., fazendo o apresentador pagar o maior mico!

O malandro voltou à realidade quando uma secretária da Gol o viu e desmentiu a história. Preso mais tarde por crimes como estelionato e associação com o tráfico, ele agora conta suas histórias na cadeia.
Literalmente:
Na prisão inventou ser chefe do PCC de São Paulo e até chefiou uma rebelião!



Adaptado de: Revista Mundo Estranho. ed. 086 - abril 2009

Nenhum comentário: