Operação Cubana

Desde que assumiu o poder pela Revolução Cubana de 1959, Fidel Castro já foi alvo de pelo menos 600 planos maquinados pela CIA, a agência de inteligência americana.

Alguns planos pretendiam apenas desacreditar Fidel em público, outros queriam realmente matá-lo!

Vejamos abaixo alguns desses planos:

Molusco Explosivo
Essa ideia maluca da CIA pretendia encher uma concha marinha de dinamite e depois pintá-la com cores chamativas e introduzí-la no local de mergulho favorito de Fidel. O plano não deu certo pela dificuldade em chegar até a esse local com um artefato desse porte camuflado.

•Baforada Assassina
Como grande apreciador de charutos, Fidel quase morreu por causa do vício.
A ideia era "presentear" o líder cubano com charutos explosivos - que detonariam ao serem acesos - ou charutos envenenados com toxina botulínica, que seria injetada na boca por uma seringa introduzida do cigarrão. O plano, contudo, não saiu do papel.

•Bombas no Palanque
Outra conspiração rolou em novembro de 2000, no Panamá, durante uma cúpula de países ibero-americanos. O plano era explodir um carro-bomba junto do palanque onde Castro discursaria. A ação, desbaratada pela polícia local e pelo Serviço Secreto de Cuba, havia sido montada pelo exilado cubado e agente da CIA Luis Posada, que foi preso com outros comparsas.

•Spray Alucinógeno
Para baixar o moral do líder socialista, a CIA pensou em borrifar alguma substância alucinógena no estúdio de rádio usado por Fidel em seus pronunciamentos à nação. Sob efeito da droga, ele começaria a falar bobagem, fragilizando-o politicamente. O esquema foi para o brejo por problemas de logística.

•Sapatos Radioativos
Esta ação, também de efeito moral, rolaria numa viagem de Fidel ao exterior. À noite, um agente da CIA se infiltraria no hotel de Castro e iria contaminar seus sapatos com tálio, um material radioativo com forte efeito depilatório - o tálio faria cair os pelos da barba, sombrancelhas e até da região pubiana de Fidel!. Só que ele desistiu de tal viagem.

•Amante Mortal
Este foi um dos planos levados a cabo. Recrutada pela CIA, uma amante de Fidel foi encarregada de matá-lo após uma noite de amor - ela colocaria pílulas com veneno na bebida ou no café de Castro. Para esconder as cápsulas, a mulher as colocou num pote de creme. Ela só não contava que, em contato com o cosmético, as pílulas derretessem...

Adaptado de: Revista Mundo Estranho - ED.087 maio/09

Nenhum comentário: